Tatiana Barbosa Ferrari - Terapeuta Ocupacional

Rua Alberto Faria - Jaraguá Office - Jd. Brasil
19 - 98399-8565
proauti@gmail.com

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Como melhorar a coordenação motora fina?

É comum vermos crianças que escrevem mal e que não estão relacionadas aos problemas de aprendizagem. É comum também vermos crianças com dificuldades na preensão e na pressão do lápis na hora da escrita, tanto para muita pressão, quanto para pouca pressão.
E o que devemos fazer para melhorar essa questão?
Muitos insistem nos cadernos de caligrafia, nas atividades com as mãos, pinçamentos, enfim, muitos focam apenas nos treinos da coordenação motora fina, mas esquecem que para ter um bom desenvolvimento fino, a criança primeiro tem que ter uma boa consciência corporal. Ela precisa correr, pular, saltar, para depois escrever, cortar, pintar... 


Hoje em dia é muito comum a criança ter uma habilidade indiscutível em um tablet, por exemplo e não conseguir desenvolver a escrita. Porque isso acontece?
Porque cada vez menos a criança explora as possibilidades de seu corpo, passando mais tempo do dia sentadas em seus celulares, do que brincando na rua e colocando todo o seu corpo para mexer.
Por isso, sempre que uma criança apresentar uma dificuldade no desenvolvimento da coordenação motora fina, devemos proporcionar oportunidades para que ela realize atividades que vão exigir dela um planejamento motor amplo, uma expressão do próprio corpo e uma maior conscientização da força e do uso de seu corpo que está intimamente ligada com a escrita.
Outro aspecto importante a ser trabalhado é o contato visual da criança, para que ela desenvolva uma boa escrita, porque é o olho que vai guiar a mão para escrever. É de extrema importância desenvolver atividades que estimulem os olhos e as mãos.
Não podemos nos esquecer que a escrita é um ato motor e que para que ela ocorra, é preciso uma harmonia da coordenação motora grossa e a fina!
A criança tem que conseguir brincar, de todas as formas com seu corpo para que haja o treino da escrita.


Nenhum comentário:

Postar um comentário